top of page

SEGUNDA INSPIRADA

Da série "Segunda Inspirada", cujo pensamento abaixo pretende a ser apenas o começo - ou o fim - ocorreu-me a tirada abaixo que reflete a concepção que tenho sobre religiosidade.

Penso que a relação que devemos ter com o Divino passa pela mesma natureza da relação que temos com nossos pais. Chega uma hora em que a gente definitivamente deixa de ser criança, ganha independência e maturidade e começa a entender melhor nossos pais.

Penso que nossa relação com Deus deve primar pela busca dessa independência sem deixar de amá-Lo. Como ocorre enfim quando nos tornamos independentes dos nossos pais: passamos a amá-los mais depois que descobrimos quanto amor é preciso para criar um filho.


Eis o pensamento:


Será que Deus como pai não tem mais satisfação em ver seus filhos se virando sozinhos do que vê-los toda hora de joelhos Lhe pedindo coisas?



É claro que como pai todos nós queremos ser amados e reconhecidos por nossos filhos, mas nada nos dá mais satisfação do que vê-los seguir seu próprio caminho, se tornando adultos indenpendentes com os quais podemos bater um papo de vez em quando.

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

ANEDOTAS DE GAURAMA II

A GALINHA A panela de feijão fumegava sobre o fogão à lenha e as crianças tinham sido recomendadas por minha mãe – portanto meus irmãos – para que cuidassem do fogo e, na medida da necessidade, coloca

ANEDOTAS DE GAURAMA

Passando a limpo velhos escritos, encontrei estes que reproduzem episódios reais, vividos ou ouvido narrar por meus pais e irmãos. Segue abaixo um aperitivo. Um abraço e boa leitura. DONA LEOCÁDIA

NOVAS ESTÓRIAS

Depois de algum tempo ausente, volto a publicar. Motivado pelo blog do meu amigo Paulo - nomadenomundo.blogspot.com, o qual recomendo - me senti desafiado a retomar algumas histórias há muito tempo es

Comments


bottom of page