top of page

WLADIMIR COSTA, A METÁFORA PERFEITA DE UM GOVERNO CORRUPTO.

O Deputado Wladimir Costa, do Solidariedade, do Pará – aquele da tatuagem falsa, no ombro, com o nome do Golpista – é a metáfora perfeita do atual Governo: corrupto e falastrão.

O Deputado que, no último episódio da votação para autorizar o STF a investigar o Golpista, revelou-se ardoroso defensor do atual Governo, em troca de polpudas liberações de emendas parlamentares, está com o mandado cassado pelo TRE/PA, desde julho de 2016, aguardando a decisão final do TSE, por irregularidades na sua campanha de 2014. Além disso, contra o sujeito pesam inúmeras acusações da falcatruas que remontam ao começo dos anos 2000 quando se elegeu pela primeira vez, deputado federal, pelo PMDB, mesmo partido do seu padrinho político, Jader Barbalho.

Pois bem, foi esse sujeito que vociferou contra o relatório de Sergio Zveiter (PMDB/RJ), na Comissão de Constituição e Justiça que concluiu, em base jurídicas, que a Câmara Federal deveria autorizar as investigações contra o Golpista, pelo STF. Foi esse mesmo sujeito que soltou confetes na votação do impeachment da Presidente Dilma Rousseff e que pediu nudez pelo celular para uma garota durante a votação na Câmara do relatório da CCJ contra o andamento das investigações contra o Golpista, além de um cem número de outras denúncias, processos e investigações.

Este mesmo sujeito tatuou, com hena (falso, portanto), o nome do Golpista no ombro, durante o recesso parlamentar de julho, dizendo que era definitiva.

Pois bem, esse sujeito é o perfeito representante do atual Governo e do ninho de cobras em que se transformou o Congresso Nacional.

Mas o pior de tudo é que gente assim está debatendo e aprovando as reformas estruturais que por muitos anos afetarão a vida de todos nós: a trabalhista, a política, a previdenciária e, quiçá, a tributária. Gente que integra o chamado Centrão – conglomerado de pequenos partidos e parlamentares com pouca expressão que ganharam espaço e visibilidade durante a gestão do Eduardo Cunha, na Câmara do Deputados. Parlamentares que levam o fisiologismo ao último grau e que agora, diante da quase inviabilização do atual Governo, por conta das promessas impagáveis e do rombo cada vez maior das contas públicas, ameaçam abandonar o barco, dignos representantes que são da classe dos roedores.

Ou seja, aqueles que esperavam que a Lava Jato fosse moralizar o país estão assistindo o desnudamento da República, com assunção ao poder de um Governo corrupto que para se manter no poder tem que negociar com a mais baixa expressão da política brasileira, a qual, quando vê que seus anseios não serão atendidos é a primeira a abandonar o barco.

É a paga merecida de um Governo que usurpou o poder de uma Presidente honesta e legitimamente eleita e cujo único pecado foi não ter compactuado com esse Congresso que aí está, capitaneado na ocasião pelo rato-mor, Eduardo Cunha, tendo nas sombras o Golpista, articulador do impeachment em benefício próprio. Preço que o Brasil terá de pagar pelos erros cometidos, na onda de uma elite empresarial e social estúpida e preconceituosa: olhar-se no espelho e ver o Wladimir Costa de regata amarela, com um tatuagem falsa no ombro, com o usurpador da Pátria, Michel Temer.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page